IDR-Paraná prepara retorno das Caminhadas na Natureza
13/09/2021 - 11:26

As Caminhadas na Natureza deram um grande impulso à atividade turística no meio rural. Em 2019, quando o Coronavírus ainda não tinha chegado ao Brasil, cerca de 70 mil pessoas percorreram os 159 circuitos oficiais de turismo rural no estado, movimentando a economia de diversas comunidades. Em março do ano passado, com o agravamento da pandemia, as caminhadas foram paralisadas. Agora, as prefeituras, a Anda Brasil, o Ecobooking e o IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná - Iapar-Emater) vão retomar as caminhadas. Para isso, foi criado um protocolo sanitário dirigido a empreendedores, caminhantes e o pessoal que organiza as atividades para evitar o contágio pelo coronavírus.   O primeiro circuito a ser retomado deve ser o de Mandirituba, no dia 24 outubro.

De acordo com Terezinha Busanello, coordenadora estadual de Turismo Rural do IDR-Paraná, logo no início da pandemia muitas propriedades tiveram que evitar a entrada de turistas. Com isso as famílias perderam uma importante fonte de renda, já que os participantes das caminhadas consumiam produtos nas propriedades ao longo do percurso. "Em agosto do ano passado alguns circuitos foram retomados, mas com pequenos grupos. As propriedades com idosos (grupo de risco) permanecem fechadas à visitação. Atualmente cerca de 80% dos estabelecimentos estão recebendo turistas em grupos de 10 a 20 pessoas", observou Terezinha. Ela disse ainda que mesmo antes da criação de um protocolo de enfrentamento da Covid, os produtores foram orientados sobre medidas de prevenção contra a disseminação da doença.

Foka Eline Jeannette Scheffer, de Curitiba, era uma frequentadora assídua das Caminhadas. Para ela a expectativa da volta dos passeios na área rural é grande. "Antes da pandemia, eu participava de alguma caminhada todo fim de semana. É uma atividade interessante por vários aspectos. É um lazer, uma forma de encontrar amigos, fazer novas amizades, ver paisagens rurais e ter acesso mais direto a produtos da agricultura familiar. Está todo mundo ansioso para a volta das caminhadas", afirmou. 

No município de Jussara o grupo de caminhantes "Pé na Estrada" chegou a reunir mais de 40 pessoas. No entanto, a pandemia limitou os passeios e o número de participantes caiu pela metade. Ainda assim, semanalmente o grupo percorre alguma trilha na região. Zenaide Campo Castilholi participa ativamente do grupo e espera o retorno das atividades. "Para mim a caminhada significa muita coisa. É saúde. É você estar no meio da natureza, poder tomar um banho de cachoeira. Conhecer novos lugares.  Eu acho que as caminhadas vão voltar sim, mas a gente precisa tomar cuidado. Não pode nem apertar a mão de outra pessoa. Mas quem sabe um dia, se Deus quiser, as coisas voltem a ser como antes, quando a gente encontrava os amigos e se abraçava", afirma Zenaide.

No município de Verê as Caminhadas na Natureza chegaram a reunir 800 participantes no circuito Águas do Verê. Rosangela Regonato, da Secretaria municipal de Turismo, disse que a organização do evento está analisando a possibilidade de retorno da atividade. Segundo Rosângela, como os caminhantes ficaram muito tempo sem a atividade, é natural que uma caminhada atraia mais gente. "A preocupação é que para colocar em prática o protocolo de segurança vamos precisar de muita gente trabalhando na organização da caminhada. Então, ainda estamos analisando", ressaltou. A secretaria já tem a previsão de realizar a caminhada no dia 24 de outubro, mas aguarda a redução do registro de casos de Coronavírus na região. 

Protocolo
Para que as Caminhadas sejam seguras, o protocolo definido pelo IDR-Paraná, e outras instituições, inclui várias medidas que já estão sendo divulgadas entre os organizadores, caminhantes e produtores rurais envolvidos na atividade. São regras como fazer os deslocamentos evitando-se a lotação máxima do veículo e sempre com as janelas abertas. Todos os participantes precisam usar máscara e gel nas mãos antes de entrar no veículo. Os caminhantes precisam estar com a cobertura vacinal completa para participar da atividade. 

O protocolo orienta ainda que os apertos de mãos sejam evitados e que seja mantido um distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas. Os organizadores devem priorizar reuniões ao ar livre. Todos os envolvidos presencialmente na organização do evento devem estar com a cobertura vacinal completa contra a Covid 19. Os caminhantes devem ser divididos em pequenos grupos e orienta-se que eles não entrem nas casas dos produtores.

Qualquer pessoa que for manipular algum material deve higienizar as mãos antes e depois com álcool gel. O espaço que for receber os caminhantes para almoço ou café deve ter mesas posicionadas com, no mínimo, dois metros de distância uma da outra. Os organizadores precisam medir a temperatura corporal, antes do inicio das atividades.  Se alguém apresentar sintomas de gripe deve avisar a organização do evento, afastar-se de suas atividades e procurar um médico. Ao fazer sua inscrição, o caminhante terá acesso ao protocolo.

Reportagem: Roberto Monteiro
 

Últimas Notícias