Milhetos se mostram uma boa opção no manejo dos solos e na alimentação humana e animal
16/11/2020 - 15:08

O Milheto, também conhecido no sul do Brasil como Pasto Italiano, surgiu ao sul do Deserto do Saara há mais de 4 mil anos, e hoje é muito cultivado na África, Estados Unidos e Austrália.

É uma gramínea anual de verão que apresenta um crescimento muito rápido e perfilha (gera brotos) abundantemente. Atinge altura de até 1,5 m após 50-55 dias de emergência, e se desenvolve bem em solos arenosos, sendo considerada uma planta muito resistente à seca, além de suportar altas temperaturas. É tolerante aos solos ácidos e muito responsiva as adubações nitrogenadas.

A época mais recomendada para plantio do milheto é no verão, por conta da necessidade de estímulo luminoso, e para uma boa germinação o solo precisa estar com a temperatura acima de 20° C (médias noturnas acima de 15° C). Para seu estabelecimento são necessários pelo menos 30 milímetros de chuva.

Pode, no entanto, ser plantado na época da safrinha, e terá seu florescimento em 50 dias – precocemente. Na prática, na região Norte e Noroeste do Estado do Paraná, as semeaduras feitas de setembro a março tem sido as mais bem sucedidas.

Com um sistema radicular abundante e agressivo, que descompacta e estrutura o solo e recicla nutrientes, se mostra como opção de cultivo de sucesso para a cobertura do solo e manejo da água, em plantio direto na rotação de culturas com soja e algodão no Cerrado.

O milheto em consórcio com outras plantas também demonstra bons resultados, inclusive com a Brachiaria ruziziensis e as leguminosas em geral, formando boas palhadas para o sistema de Plantio Direto. Também tem sido utilizado no manejo de solos e água da olericultura e fruticultura, como importante ferramenta para o estabelecimento das culturas em sistemas de plantio direto.

Os materiais mais recentes e modernos da gramínea têm sido selecionados para ajudar no manejo dos nematoides do solo. Quando suas raízes são infectadas por estes vermes do solo, produzem populações menores que as originais no fim do ciclo – o chamado Fator de Reprodução – FR menor que 1. Constituem instrumento importante no manejo de nematoides do gênero Meloidogyne, tais quais Meloidogyne incognita e Meloidogyne javanica, além de Pratylenchus brachyurus e Rotylenchulus reniformis, que causam danos em outras culturas nos sistemas de produção de grãos: soja, milho e algodão.

Em relação à produção de pastagens, o milheto tem boas características nutricionais e proporciona bom ganho de peso. Expressa bom potencial produtivo de forragem quando fertilizado, podendo alcançar até 15 toneladas de matéria seca por hectare. O bom manejo permite de três a quatro cortes, mas pode render até oito cortes no verão, em solos mais férteis e adubados.

Os cultivares e híbridos graníferos, com interessantes características nutritivas, também podem servir à alimentação humana. Estes são geralmente plantados logo após a colheita da soja – até 15 de março. Dados de empresas detentoras dos materiais genéticos informam produtividades que alcançam entre 40 a 50 sacas de grãos por hectare e entre quatro e sete toneladas de matéria seca por hectare, no estado do Mato Grosso.

Os resultados mostram que o cultivo de milhetos graníferos e forrageiros são uma oportunidade para produção de forragens e grãos que podem ser utilizados na alimentação animal e humana. Além disso, contribuem com as estratégias de manejo dos solos e águas nos sistemas de produção de grãos, Integração Lavoura, Pecuária e Floresta, produção de frutas e hortaliças em Plantio Direto, podendo ocupar espaços em áreas na safrinha.

O seu cultivo permite aumentar os níveis de matéria orgânica do solo, melhorar as taxas de infiltração de água, aumentar o armazenamento de água no solo, proteger contra erosão e altas temperaturas e reciclar nutrientes em profundidade. Essas vantagens permitem ampliar a produção e a sustentabilidade dos sistemas, oferecendo maior lucro aos agricultores e pecuaristas.

Para difundir esse tipo de conhecimento e tecnologias validadas sobre o cultivo dos Milhetos forrageiros e graníferos, um rol de parceiros da iniciativa privada e pública, entre eles o IDR-Paraná, organizaram uma Live sobre o tema: “O cultivo de Milhetos para grãos e forragens – uma oportunidade no manejo dos solos e alimentação animal em sistemas de ILPF”, marcada para dia 19 de novembro de 2020 (quinta-feira), das 09h às 11h, no canal do YouTube da Expotécnica.com:  https://youtu.be/z5j671M-0i4

O evento contará com a participação de especialistas no assunto, para falar sobre o cultivo e uso dos milhetos (relacionados no convite do evento, disponível nas fotos deste artigo).


Artigo: Eng. Agrônomo Celso Daniel Seratto
 

Últimas Notícias