Crédito Rural: IDR-Paraná é referência na elaboração de projetos
20/08/2020 - 15:37

O agronegócio, responsável por um terço do PIB do Estado, é também a fonte de renda de 846 mil e 642 paranaenses, conforme o último Censo Agropecuário realizado pelo IBGE, em 2017. Este público vive ou trabalha em estabelecimentos agropecuários e, às vezes, precisa de assistências técnica, financeira ou social.

A cada início de safra, um novo Plano Safra é lançado e serve como uma das principais fontes de incentivo ao produtor rural brasileiro por reunir um conjunto de políticas públicas que abrangem os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural, crédito, seguro da produção, garantia de preços, comercialização e organização econômica das famílias residentes no campo.

Nesta safra, R$ 236,3 bilhões foram destinados pelo Governo Federal para apoiar a produção agropecuária nacional, sendo R$ 179,38 bilhões para custeio, comercialização e industrialização e R$ 56,92 bilhões para investimentos.

Os pequenos produtores rurais têm à disposição R$ 33 bilhões para financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com juros de 2,75% e 4% ao ano – menores do que no último plano -, para custeio e comercialização. Para os médios produtores rurais, serão destinados R$ 33,1 bilhões, por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), com taxas de juros de 5% ao ano para, também, custeio e comercialização.

No Paraná, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) tem a experiência de mais de 60 anos na elaboração de projetos para a contratação de crédito rural. O acompanhamento de uma propriedade por um servidor não se dá apenas para a elaboração do projeto, mas também para a assistência técnica e extensão rural e para o acompanhamento deste trabalho, analisando como o crédito pode ser investido da melhor forma.

“O crédito rural é para fazer a diferença com qualidade na vida do produtor rural. O crédito se torna fundamental para o agricultor crescer. Para aplicar o investimento, o IDR-Paraná olha a propriedade como um todo e estuda o sistema de produção de maneira completa. O extensionista é um agente de desenvolvimento que sabe qual é o projeto de vida que se encaixa para aquela família. Quando ele tem esse compromisso e desenha uma proposta de crescimento, o crédito rural entra para tornar o sonho de desenvolvimento em realidade”, conta Osmar Schultz, responsável pela área de crédito rural do IDR-Paraná.

O IDR-Paraná busca atender o produtor rural que faz parte de cooperativas ou de assistências técnicas privadas. Para ter direito ao crédito rural, o agricultor precisa ter a DAP, a Declaração de Aptidão ao Pronaf.

Cada projeto assistido pelo Instituto é investimento que retorna para o Estado. É cobrado 2% por projeto com ATER. No último ano safra, que terminou em 30 de junho, o IDR-Paraná promoveu a contratação de 12.467 projetos, que resultaram em torno de R$ 469 milhões. A intenção para este ano é aumentar este valor para investir ainda mais no agronegócio paranaense. “Nós temos os especialistas de cada programa e estamos preparados para realizarmos projetos em diferentes culturas. Se o produtor rural quiser mudar de negócio ou agregar mais valor à sua propriedade, o Instituto vai saber como fazer isso e de que maneira”, comenta Schultz.

Como ter a DAP
O documento de identificação da agricultura familiar pode ser obtido tanto pela agricultora e agricultor familiar (pessoa física) quanto pelo empreendimento familiar rural como associações, cooperativas, agroindústrias (pessoa jurídica). A DAP é gratuita e tem validade máxima de até dois anos. Mais informações estão disponíveis no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento pelo link abaixo:

Últimas Notícias