Dieta balanceada aumenta produção e diminui despesas com alimentação do gado leiteiro
03/03/2022 - 11:07

A produtividade do rebanho leiteiro depende diretamente da qualidade da alimentação que recebe. Além disso, o produtor precisa fornecer aos animais os nutrientes que eles precisam para explorar seu potencial produtivo, é o que os técnicos chamam de dieta balanceada. Maurílio Machado, produtor de São José dos Pinhais, resolveu apostar nessa prática. Em pouco mais de oito meses ele já conseguiu aumentar a produtividade e diminuir os gastos com a alimentação do rebanho.

Desde 2017 Machado vem recebendo assistência do IDR-Paraná na condução de sua propriedade. Para ele, esse trabalho tem sido fundamental. "Quando começamos a lidar com o gado de leite a gente achava que entendia alguma coisa. Depois que tivemos assistência do IDR-Paraná mudou praticamente tudo. Fizemos cursos para lidar com o rebanho, aprendemos a cuidar dos bezerros e agora temos o acompanhamento da nutrição das vacas", explicou o produtor.  

Machado é o primeiro produtor a adotar a dieta balanceada dos animais no município.  De acordo com a zootecnista Delma Ferreira da Silva, do IDR-Paraná, muita gente tem receio de que a prática aumente os gastos na propriedade. Ela acrescentou que é justamente o contrário. "Com a dieta balanceada o produtor fornece ao animal o que ele precisa, baseando-se no seu estágio de lactação e peso. Trabalhamos com vários tipos de alimentos que a vaca aproveita melhor", explicou a extensionista. Segundo Delma, além da ração, os animais recebem alimentos que podem ser produzidos na propriedade, o que impacta no custo da alimentação.

Economia
Mesmo com pouco tempo de aplicação, a dieta balanceada já mostra resultados. Machado tem 16 animais, dos quais sete vacas estão em lactação. "Tenho uma vaca, por exemplo, que produzia 26 litros de leite por dia e comia oito quilos de ração. Agora, o concentrado diminuiu para seis quilos e ela produz 27,5 litros de leite por dia. Fazendo as contas, economizo R$ 4,00 ao dia por animal, levando em conta o preço atual do quilo de concentrado. E ainda recebo mais porque tem um aumento de um litro e meio de leite", disse Machado. Para o produtor, o acompanhamento da nutrição dos animais é um trabalho que não só vale a pena, como deve ser feito. "Sem isso a pecuária leiteira começa a não dar o lucro desejado", argumentou Machado.

Adotar a dieta balanceada dos animais não mudou em nada a rotina do trabalho na propriedade. "Só tenho que dar mais atenção e ter o acompanhamento da técnica, porque não tenho formação para entender o que deve ser feito", observou Machado. A cada mês a extensionista do IDR-Paraná visita a propriedade, analisa o registro de dados sobre o rebanho (alimentação e produção) e faz as adaptações necessárias na dieta. Além disso, Delma também orientou a melhoria da oferta de alimentos produzidos na propriedade. Atualmente o produtor mantém um hectare de pasto, tem área de milho para fazer silagem e prepara um outro hectare com pastagem de verão. Ele cultivou a grama tifton 85 e já planeja, no inverno, ocupar a área de milho com aveia e azevém. Outras melhorias estão sendo previstas como a construção de piso na área de ordenha e no bezerreiro. "Esses investimentos vão garantir que a atividade leiteira continue dando lucros e mantendo a família na atividade", concluiu o produtor.

Reportagem: Roberto Monteiro