Estudantes conhecem tecnologias para a produção de frutas de clima temperado na Estação de Pesquisa do IDR-Paraná
23/11/2022 - 12:56

Começou, nesta terça-feira, 22 a Semana Frutifica Paraná. Até o dia 24 cerca de 500 alunos de 15 instituições de ensino agrícolas do estado vão ter acesso a tecnologias para o cultivo de diversas espécies de frutas. Organizado pelo IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater) o evento acontece na Estação de Pesquisa da Lapa e recebe estudantes do nível técnico e superior.

O objetivo é fomentar a atividade da fruticultura para o público jovem rural. Nesta semana os alunos vão aprender os aspectos produtivos e econômicos das principais frutíferas de clima temperado. Orientação sobre manejo de solo, época de colheita, cuidados fitossanitários, variedades, manejo de poda, custo de implantação, entre outras.

O presidente do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza que participou da abertura falou da importância destes eventos para os estudantes que logo estarão no mercado de trabalho. “Além de bons profissionais estes jovens adquirem conhecimento que podem colocar em prática em seguida, visto que a maioria é filho de agricultor”, afirmou Souza. Além disso Natalino ressaltou sobre o espaço para crescimento da fruticultura no Paraná. “Cerca de 70% dos hortifrutis comercializados nas unidades da Ceasa/PR são produzidos em outros estados, ou seja, há muito espaço para o Paraná crescer e mercado para esta atividade”.

Para o professor Edson Blum, do Colégio Estadual de Educação Profissional Newton Freire Maia, de Pinhais, os alunos que participaram do evento tiveram acesso a técnicas de cultivo e adubação que devem contribuir de forma efetiva na formação deles. “Os alunos voltaram da estação muito animados pelo conhecimento recebido”, afirma o professor.  

Estação de pesquisa - A Vitrine Tecnológica de Fruticultura de Clima Temperado da Estação de Pesquisa possui um pomar com 11 espécies frutíferas, mais de 100 combinações de variedades e diversas formas de poda e condução que podem contribuir para a qualidade do produto.

De acordo com Juliano de Souza Lima, coordenador da Estação, a vitrine não é apenas um espaço para a pesquisa de novas variedades, formas de manejo e testes de tratamentos. É também utilizada para a difusão tecnológica. Anualmente passam pela estação cerca de 1.500 a 2.000 visitantes em busca de informações técnicas. Grande parte através eventos como este, outros através de excursões com grupos de produtores ou até mesmo de forma individual. É comum receber fruticultor em busca de informações específicas. “A vitrine funciona como uma verdadeira escola a céu aberto, onde a gente consegue avaliar as respostas de determinada variedade, forma de manejo ou mesmo respostas de tratamentos, e repassar os resultados para o produtor interessado. Assim ele consegue tomar decisões mais assertivas na propriedade, diminuindo os riscos”, afirma Juliano.

A Semana Frutifica Paraná conta com a parceria da Fetaep (Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná), Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e Ceasa/PR (Centrais de Abastecimento do Paraná).

Reportagem: Assessoria de Comunicação