IDR-Paraná faz exames para detectar casos de intoxicação por agrotóxicos em produtores
09/05/2022 - 16:10

O IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná - Iapar-Emater) e o Laboratório de Toxicologia, do Departamento de Farmácia da UEM (Universidade Estadual de Maringá) promoveram um Encontro de Promoção à Saúde dos Trabalhadores Rurais no distrito de Aquidaban, em Marialva, nesta segunda-feira (09). Com o apoio da prefeitura de Marialva, foram realizadas palestras informativas, além da coleta de amostras de sangue dos participantes. O objetivo da iniciativa foi descobrir casos de intoxicação por agrotóxicos, além de outras doenças.

O projeto que avalia a saúde dos trabalhadores rurais de Marialva existe desde 2008. Há cinco anos a prefeitura vem apoiando o trabalho. De acordo com a professora Simone Galerani Mossini, coordenadora do Laboratório do departamento de Farmácia, o projeto surgiu da necessidade de avaliar e acompanhar a saúde do trabalhador que lida com agrotóxicos no dia a dia. "Sabemos que os produtores são uma população vulnerável que precisa de atenção, principalmente no que diz respeito a sua saúde quando expostos aos agrotóxicos" afirmou a professora. Ela acrescentou que a análise das amostras vai apontar casos de intoxicação ou não por agrodefensivos, risco de desenvolvimento de doenças cardiometabólicas e até câncer. "Nosso objetivo é mapear o impacto dos agrodefensivos na população exposta, bem como o estado geral de saúde dessas pessoas", afirmou. Simone acrescentou que serão feitos testes que não são realizados na rotina de consultas. "São testes que vão avaliar a possibilidade de desenvolvimento de câncer, a saúde do coração, o estado da função renal e do fígado", explicou.

Serão coletadas amostras de sangue de 300 agricultores que trabalham com a produção de grãos (soja, trigo e milho), café, olerícolas, viticultura e fruticultura. Nesta segunda-feira foi feita a coleta de amostras de 150 produtores, cerca de 50 famílias. Por meio dos exames será verificada a presença de, aproximadamente, vinte princípios ativos de agrotóxicos. "A identificação de possíveis intoxicações é fundamental para um tratamento eficaz protegendo a saúde de todos", ressaltou Ailton Poppi, do IDR-Paraná.

Para o secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente de Marialva, Nathan Bortolon, eventos como este chamam a atenção para os cuidados que cada um pode ter com sua própria saúde.

Para ele, os exames têm importância tanto no sentido preventivo, quanto no diagnóstico precoce de eventuais situações que demandem tratamento. "Sabemos a real necessidade que os agricultores passam no seu dia a dia devido ao uso de agrotóxicos", afirmou o secretário. 
A equipe que está fazendo os exames conta com a presença de professores especialistas no assunto, médico, nutricionista e extensionista do IDR-Paraná. A equipe oferece informações a respeito da prevenção de doenças e exposição a agrotóxicos. 

O produtor Helton Pelisson acredita que os exames podem dar uma visão mais real da situação de saúde dos agricultores. "Não só ajuda a gente a saber o que temos, se a gente está intoxicado ou não, mas também ajuda a conhecer a realidade da nossa saúde, o que está acontecendo na nossa região. O índice de aplicação de agrotóxicos aqui é grande e a gente precisa saber até que ponto estamos contaminados pelo agrotóxico aplicado, e também pelo agrotóxico consumido via alimentação. Vai ser muito relevante para a nossa saúde", concluiu o produtor. 

Reportagem: Roberto Monteiro