Novas categorias do Prêmio Orgulho da Terra valorizam mulheres, tecnologias e café
16/11/2022 - 10:23

Lançada em 2021, premiação valoriza e reconhece os produtores rurais paranaenses e as melhores práticas do agronegócio. Projeto é uma realização do Grupo RIC em parceria com o IDR-Paraná e Ocepar. Prêmio será entregue dia 30 de novembro.

O Prêmio Orgulho da Terra 2022 ampliou o número de categorias homenageadas no agronegócio paranaense. As novas são café, tecnologias, sucessão e mulheres no agro, que se somam à agricultura orgânica, agroindústria, aves, bovinocultura de corte, bovinocultura de leite, feijão, inclusão social, piscicultura, sericicultura, soja e milho, suínos e turismo rural.

A premiação valoriza e reconhece os produtores rurais paranaenses e as melhores práticas do agronegócio. O projeto é uma realização do Grupo RIC em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) e o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar).

Em 2021, no ano do lançamento, o Prêmio Orgulho da Terra homenageou o secretário estadual da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, como personalidade do agronegócio do ano. O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o vice-governador Darci Piana participaram da entrega dos troféus.

Neste ano, o prêmio é apresentado pelo Banco do Brasil, com patrocínio da C.Vale da Globoaves, e será entregue no dia 30 de novembro, mais uma vez com a presença de todos os homenageados.

“Temos um olhar sobre os produtores paranaenses, que estão cada vez mais engajados em boas práticas ambientais, sociais e econômicas e merecem ser reconhecidos fora de suas porteiras, o que só é possível com um trabalho jornalístico feito com carinho e competência”, destaca Leonardo Petrelli, presidente do Grupo RIC.

Os produtores foram indicados por técnicos do IDR-Paraná e das cooperativas e escolhidos por um comitê de notáveis, formado por técnicos da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Federação de Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Paraná (Fetaep).

Eles avaliaram todas as iniciativas dos produtores indicados, desde as condutas que contribuem para uma sociedade forte e diversificada até as ações que destacam o compromisso com a sustentabilidade e o crescimento econômico.

Missão – Para o IDR-Paraná, o reconhecimento que o prêmio proporciona ao agricultor paranaense vem ao encontro da missão do Instituto, que é proporcionar mecanismos para que o agricultor possa desempenhar uma agricultura cada vez mais sustentável e, desta forma, gerar o desenvolvimento rural no Estado.

O presidente do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza, afirma que o prêmio incentiva os produtores a buscar tecnologias que garantam uma produção mais sustentável e com qualidade. “Vejo este prêmio como uma maneira de expor para a sociedade todo o valor que o agricultor tem e, assim, contribuir para que o Paraná continue praticando uma das melhores agriculturas do país”, pondera.

Ele também reforça que, ao incorporar novas categorias, a segunda edição amplia o reconhecimento público aos homens e mulheres que fazem do agronegócio a missão de vida.

José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar, ressalta que ao ser lançado, em 2021, o prêmio causou um impacto muito positivo entre cooperados de todo o Paraná. “Os cases selecionados ganharam grande visibilidade e, com certeza, estão servindo de modelo para que as boas práticas nas diferentes áreas sejam replicadas por outros produtores”, frisa.

Este é o principal legado do Prêmio Orgulho da Terra, do qual nossas cooperativas participaram nos segmentos de aves e suínos, em que se destacam sanidade, rastreabilidade, bem-estar animal e sustentabilidade, preocupadas em oferecer produtos com qualidade garantida na origem", completa.

Seleção e visitas – As melhores práticas já foram selecionadas e agora as propriedades estão sendo visitadas pela equipe do RIC Rural, onde as matérias serão exibidas. “Estamos muito felizes por poder mostrar ao povo do Paraná como os nossos produtores estão preocupados com o meio ambiente e com a saúde dos consumidores”, diz o jornalista Sérgio Mendes, apresentador do programa.

“Com a ajuda dos técnicos do IDR-Paraná e das cooperativas, que os assessoram o ano todo, os produtores vêm se profissionalizando na gestão do negócio rural e assumindo papéis de liderança. O Prêmio Orgulho da Terra é um justo reconhecimento a esse segmento da sociedade que trabalha em silêncio e com grande competência”, completa.

Reportagem: Assessoria de Comunicação