Pecuária Moderna - Bovinocultura de Corte

Bezerros

 

Padrão de Carcaças

 

Cruamento Industrial

 

Silvopastoril

 

1. Contextualização

A Pecuária de Corte Paranaense ocupa a décima primeira colocação no ranking nacional de produção de carne bovina com um rebanho aproximado de 6,3 milhões de cabeças (SEAB / DERAL 2019).  A atividade utiliza uma área de 5 milhões de hectares e envolve 56.000 produtores, sendo o quarto maior Valor Bruto da Produção Estadual. A produção atual, de 349 mil toneladas, não atende a demanda do Estado, o que oportuniza estratégias de crescimento e a expansão para a atividade.

Neste sentido é necessário investir em sistemas de produção mais intensivos e eficientes, utilizando, dentre outros, os Programas: Agricultura de Baixo Carbono (ABC), Integração Lavoura-Pecuária (ILP), Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), Sistemas Silvipastoris, Programa de Inseminação Artificial (PIA) e Programa de Produção de Bezerros - PROPBAD

PROPBAD). Programa de Produção de Bezerros em Áreas Declivosas – busca intensificar a produção pecuária em áreas declivosas, sem aptidão agrícola, focando na produção de matrizes e bezerros de qualidade, tornando o estado num grande berçário de bezerros.

 
Objetivos do Projeto

a) Objetivo Geral:

  • Aumentar a renda dos pecuaristas profissionalizando-os com isso conseguindo mais produtividade e qualidade, com ênfase no giro mais rápido do capital investido, terminando animais com a qualidade exigida pela indústria e mercado consumidor (interno e externo), agregando valor à mesma.

b) Objetivos específicos:

  • Consolidar uma pecuária de alta qualidade no Paraná - Melhorando todos os índices zootécnicos tornando o estado referência na produção de carnes de qualidade (nobres).
  • Aumentar a produção para suprir as nossas necessidades internas e buscar conquistar novos mercados exigentes, exportando o excedente.
  • Melhorar o relacionamento entre os elos da cadeia produtiva, analisando os seus gargalos, buscando a viabilização da mesma.
  • Organizar a produção e comercialização de carnes de qualidade (nobres) em escala.
  • Fortalecer as seis Cooperativas de Carnes Nobres do Paraná.
  • Ampliar a industrialização dos subprodutos do boi, visando ampliar emprego e renda no estado.
  • Aumentar o número de produtores cooperados (50%) de carne de qualidade nas seis Cooperativas de Carnes Nobres do Paraná.
  • Aumentar em 45% a produção de carne bovina de qualidade (abate de animais precoces), em relação ao total produzida no estado.
  • Aumentar em 30% a produção de bezerros para suprir o déficit do estado.
  • Aumentar em 30% a exportação de carne bovina.
 
Ações prioritárias do Projeto
  • Melhoramento médio no estado dos Índices Zootécnicos a ser perseguidos.
  • Idade Média de Abate: reduzir de 37 para 30 meses.
  • Lotação Média em Pastagens: aumentar de 1,4 para 2,0/UA/ha/ano.
  • Natalidade Média: aumentar de 65 para 75%.
  • Mortalidade Média: reduzir de 3 para 1 %.
  • Desfrute Médio: aumentar de 21 para 25%.
 
Tecnologias prioritárias para ATER
  • Suplementação Alimentar / Manejo, formação e reforma de pasto (usar a Integração Lavoura-Pecuária e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta).
  • Introdução e Reprodutores Melhorados, Cruzamento Industrial, Seleção e Retenção de Matrizes (10% a mais nas propriedades).
  • Manejo do Rebanho, Manejo Sanitário, Introdução de estações de monta, Introdução de práticas de Confinamento e Semi-Confinamento.
  • Usar o crédito rural como ferramenta facilitadora.
  • Implantação de sistemas produtivos visando o bem estar e conforto térmico dos animais.
  • Organização da produção e comercialização escalonada:.
  • Fortalecer as formas de organização de carnes já existentes e fomentar novas.
  • Estimular novas formas de Contratos de Parcerias: Produtor x Produtor, Produtor x Indústria, etc, num sistema ganha x ganha.
  • Estimular e fomentar as Agroindústrias Regionais /Estaduais.
 
Abrangência do Projeto

O Projeto Bovinocultura de Corte / Pecuária Moderna terá uma duração de 10 anos e atuação em todo o Estado do Paraná. A estratégia básica do Projeto é trabalhar com grupos de produtores formais (Cooperativas, Sindicatos Rurais, Sociedades Rurais, Associações de Raças e Produtores) e informais. Além disso, o projeto também visa fortalecer as seis Cooperativas de Carne de Qualidade do Estado, bem como fomentar as novas.

 
Melhorias esperadas

Na Indústria

  • Otimização dos Processos Internos (linha de abate, frio, novas plantas frigoríficas, credenciamento com SIF / exportação).
  • Matéria Prima com qualidade viabilizando linhas de abate e exportação dentro dos padrões desejados e cortes especiais.
  • Contratos – produtor x produtor – parceria produtor x indústria– sistema ganha x ganha.
  • Abastecimento Local com segurança alimentar (inibir abate clandestino).
  • Marcas Próprias da Indústria, buscando nichos de mercado (Agregação de valor).
  • Selo Carnes Paraná (chancela do Estado).
  • Estimular e Fomentar as agroindústrias regionais e estaduais (subprodutos do abate do bovino).
  • Fortalecer as Cooperativas de Carnes existentes no Estado (Umuarama, Pato Branco, Cascavel, Campo Mourão, Guarapuava e Londrina).

No Estado

  • Coordenação Estadual da proposta (Política).
  • Articulação (estímulo à participação, cooperação sinérgica (Políticas Públicas)).
  • Serviços.
  • Execução direta: ATER, Pesquisa, Fiscalização.
  • Cooperação e Contratação - marketing, contratos, parcerias, crédito rural para os elos da cadeia.
  • Relações Institucionais (fóruns e comitês estadual e regionais da cadeia da carne / Pecuária Moderna
  • Fomentar o Programa Carne X Madeira no noroeste do estado.
  • Organizações de produtores e indústrias.
  • Projetos de Apoio (inseminação artificial, adubos, sementes, PROPBAD e outros)
  • Fortalecer a rastreabilidade e certificação de carnes.

No Produtor - Trabalho na produção

  • Meios de apoio: crédito a canais de exportação, programas subsidiados.
  • Assistência técnica (produção, comercialização e organização).
  • Capacitação do produtor e do corpo técnico.
  • Profissionalização da exploraçao

Na ATER / Pesquisa

  • Tecnologia de Produção
  • Gestão do Negócio
  • Visão de Sistemas
  • Melhoria dos Índices Zootécnicos
  • Organização da Produção e Comercialização (Escalonada) - visão de cadeia produtiva
  • Pesquisa aplicada a sistemas de produção intensivos

Indices Técnicos Perseguidos

 

 
Eventos
  • Cursos básicos para técnicos (SBT Produção).
  • Cursos básicos para produtores e suas organizações (SBT Produção e Organização).
  • Dias de Campo.
  • Unidades demonstrativas (mínimo duas por grupo de produtores).
  • Excursões (Palestras).
  • Stands em exposição.
  • Feiras Agropecuárias.
  • Feiras Agronegócios.
  • Feiras Supermercadistas.
  • Simpósios.
  • Mídia escrita, falada e televisionada.
  • Rally pecuario
 
Parcerias Estratégicas / Partes interessadas
  • Pecuaristas: ATER para produção e comercialização de carnes de qualidade.
  • Cooperativas de carnes.
  • Consumidor final.
  • Fornecedor de insumos.
  • SEAB (Secretaria da Agricultura e do Abastecimento).
  • DERAL (Departamento de Economia Rural).
  • MAPA (Ministéria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento).
  • Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).
  • Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural).
  • FAEP (Federação da Agricultura do Estado do Paraná)
  • Universidades
  • Governo do Estado do Paraná
  • Sindicatos rurais
  • ADAPAR (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná)
  • Associações de raças
  • Outras cooperativas
  • Frigoríficos/ Atacadistas/ Varejistas.
  • Sociedades Rurais.
  • Sociedades Criadoras de Raças Puras.
  • Empresas de insumos agropecuários.
  • Agroindústrias.

 

Responsáveis pelo Projeto

  • Extensão Rural - Zootecnista Luiz Fernando Brondani
  • Pesquisa: Zootecnista Katia Fernanda Gobbi